Bem Vindos!!!!

E ai pessoal! Tudo Blz?

Depois de um longo periodo sem postar resolvi que ia me tornar novamente um blogueiro hauahuahaua e aqui estou eu novamente em nova tentativa.
Aqui vou estar postando coisas curiosas em geral, um pouco de humor, paranormalidade e ainda vou tratar de assuntos relacionados a tecnologia e videogames.
Então como podem ver, variados assuntos para tentar agradar a todo mundo.
No mais e isso, aproveitem o conteúdo!
Abraços,

Bruno.
Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A CASA MAL ASSOMBRADA




Fogo, levitação de objetos, copos que se quebram e vozes estranhas são alguns dos fenômenos físicos que aterrorizam uma família em São Paulo. Por Léia Tavares.



Em 2 de novembro de 2005, dia de finados, começou o tormento da família Teodoro Rosa. Muitos vêem essa data como um convite a rezar e visitar o túmulo de entes queridos; mas, como uma ironia, foi exatamente nesse dia que o pânico instaurou-se na casa de número 152 da Rua Aparecida Moreira César Turíbio, em Osasco, SP. Quando o relógio marcou, precisamente, 12h20, um incêndio, sem nenhuma causa aparente, começou. Esse seria um incidente comum, não fosse a maneira como aconteceu. "Primeiro pegou fogo em uma parte da cortina, depois em uma camisa, em seguida no guarda-roupa. Queimou tudinho, só fiquei com a roupa do corpo", afirmou o aposentado Santo Teodoro Rosa, 59 anos, conhecido como Seu Santinho.




A família chamou o corpo de bombeiros, mas conseguiu conter o incêndio antes do socorro chegar. Passado o susto, continuaram em sua rotina e, apesar do medo de ocorrer um incêndio novamente, não associaram o caso a qualquer fato sobrenatural. Mas, num outro dia, veio o fogo. Destruindo, agora, a televisão, o aparelho de som, os armários, a geladeira, as roupas e os móveis. "A televisão novinha pegou fogo umas seis vezes. Começamos a ficar vigilantes. Às vezes, quando sentia um cheiro estranho, podia ficar de olho, dali a pouco subia uma 'fumacinha' e em seguida pegava fogo", afirmou Seu Santinho.




A suspeita de algo inexplicável tomou conta da família, que, sem ter uma explicação para os fenômenos de combustão instantânea, buscou aplacar as chamas por meio de orações. Os moradores contam que, em uma das sessões de prece, as roupas do pastor Edmilson Tito de Araújo pegaram fogo. "Acho que é uma obra de macumba que fizeram, só que não nos destruiu porque Deus não deixou", afirmou Seu Santinho.




Da casa, onde viviam Seu Santinho, sua esposa, dona Maria Salomé Alves, 65 anos, suas filhas e netos, não sobrou muita coisa. O estrago foi tão grande que a moradia foi interditada pela Defesa Civil. A família ficou desabrigada e alguns membros chegaram, inclusive, a passar uma noite em um abrigo. "Dormimos junto de pessoas com as mais variadas enfermidades: aidéticos, viciados em drogas, alcoólatras. Não teve condições de permanecermos no local. E ainda tem gente que nos acusa de estar botando fogo em nossa própria casa. Por que faríamos isso?", desabafou a filha de Seu Santinho, Tatiana Teodoro, 24 anos, que passou uma noite no abrigo junto da filha de apenas dois anos.


Poltergeist ainda um mistério!!!




Que vem a ser um poltergeist?

Não e fácil explicar o que seja um poltergeist (pronuncia-se poltergaist). Para ter-se uma idéia, daremos, mais adiante, alguns relatos sumaríssimos de fenômenos de poltergeist, extraídos dos arquivos do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofisicas - IBPP.

O vocábulo poltergeist e de origem alemã e composto por duas palavras germânicas: poltern = batedor, brincalhão, galhofeiro etc., e geist = espírito.

Esta designação e popular e originou-se da crença de que os fenômenos observados seriam provocados por espíritos de desencarna- dos, por duendes, demônios ou outros seres incorpóreos.

Modernamente, há uma apreciável parcela de parapsicólogos que atribui a determinadas pessoas vivas a origem dos fenômenos de poltergeist. Tais indivíduos, denominados epicentro, seriam dotados de excepcional faculdade psicogenética. Em certas ocasiões, essa faculdade se exaltaria em virtude de algum trauma emocional e extravasaria suas energias em forma de ação física sobre os objetos de suas adjacências.

Uma das características do poltergeist seria a repetição periódica dos mesmos fenômenos. Em razão disso , e tendo em vista a sua suposta causa psicogenética, os modernos parapsicólogos passaram a designar os fenômenos de poltergeist pela sigla RSPK, da expressão em inglês: "Recurrent Spontaneous Psychokinesis" (psicocinesia recorrente espontânea). Assim, eliminou-se a conotação metafísica, segundo os parapsicólogos ortodoxos, embutida no vocábulo popular poltergeist.

Não obstante, a palavra poltergeist ainda e muito usada para designar os referidos fenômenos, tal a sua popularização. Mas, para os parapsicólogos considerados ortodoxos, hodiernamente, o termo poltergeist significa RSPK (psicocinesia espontânea) e não a ação Espíritos brincalhões ou seres incorpóreos.

O poltergeist do Paraguai

Em 28 de julho de 1972, o periódico de noticias da colônia japonesa, Jornal Paulista, publicou uma reportagem do jornalista Kazunari Akaki, a respeito de um poltergeist em atividade no Paraguai, próximo a cidade brasileira de Ponta Porã. Os referidos fenômenos tiveram inicio em 1969 e vieram ressurgindo periodicamente ate julho de 1972, quando houve um novo e intenso surto de atividades. (Akaki, 1972).

Esse poltergeist manifestou-se no sitio do sr. Katsumi Okabe. Aquela propriedade media cerca de 100 hectares e estava localizada em solo paraguaio, distante aproximadamente 20 (vinte) quilômetros de Ponta Porã. Os fenômenos constituirá-se, inicialmente, em movimento, sobretudo "apports", de objetos os mais diversos. A natureza dos objetos transportados variava desde pedras de diferentes tamanhos, pneus de caminhão, pedaços de trilhos de aço, carrinhos de mão, rolos de arame, latas, garrafas etc., ate aves (dois papagaios que se achavam encerrados em gaiolas).

O poltergeist do Paraguai (como o designamos comumente) e um dos mais estranhos da nossa coleção. Suas características principais consistem no seguinte:

  1. Sua atividade quase não cessava, permanecendo praticamente dia e noite. Notava-se apenas redução irregular de suas atividades, por pequenos intervalos de tempo, durante os quais ocorriam algumas quedas de pedra, sumiços de objetos etc.
  2. A família do proprietário, sr. Katsumi Okabe, trabalhava no cultivo da terra, em plantação de tomates e outros tipos de hortaliças. As vezes os tomates e pedras eram apanhados e atirados nos trabalhadores. Um dos empregados foi atingido no pe por uma pedrada. O ferimento mostrou-se mais ou menos grave.
  3. Objetos pesados eram transportados de forma misteriosa do pavimento térreo para o superior do grande barracão onde dormiam os membros da família. A escada e a passagem que ligam os dois pavimentos são estreitas, dando apenas para caber uma pessoa. Entretanto, eram trasladados objetos grandes, bicicletas, rolos de malhas de arame, sacos de mantimentos, bujões de gás, macacos de caminhão e outros mais. Tais objetos sumiam do lugar ocupado no piso térreo e iam aparecer no cômodo superior, causando enorme trabalho para recolocá-los de novo nos antigos lugares, pois a passagem pela escada não era suficiente. Tornava-se necessário descê-los pelas janelas.

Quando o repórter do Jornal Paulista esteve naquele local, ele fez algumas experiências para verificar a autenticidade dos fenômenos. Entre elas, ele obteve um cadeado novo (comprado por ele próprio) e uma corrente de ferro. Com esses utensílios, o sr. Akaki (o repórter) prendeu dois pneumáticos a um dos esteios do barracão, na parte do piso inferior. Assim, os pneus ficaram fortemente acorrentados e sujeitos ao esteio pelo robusto cadeado novo, cujas chaves foram guardadas no bolso do próprio sr. Akaki .

O repórter saiu de perto dos pneus por uns instantes e foi o quanto bastou para sumirem dali e aparecerem no cômodo superior. A corrente e o cadeado não foram mais encontrados em parte alguma. Esta "teimosia" do poltergeist em levar todos os objetos volumosos e pesados para o cômodo superior do barracão era uma de suas características típicas.

Outros objetos de menor porte eram conduzidos a outros lugares inimagináveis, ou sumiam misteriosamente para reaparecerem em condições e locais inesperados. Assim, por exemplo, balas e chocolates ganhos pela família e doados por visitantes - entre estes o Cônsul japonês -, depois de desaparecerem de dentro dos invólucros intactos, surgiam a noite e durante o dia, caindo aqui e acolá nos cômodos da casa, como se viessem do teto.

Latas de talco, garrafas de bebida, maços de fósforos, pilhas de lanterna e outros objetos costumavam colocar-se espontânea e inexplicavelmente sobre o tirante de madeira do telhado do barracão.

O jipão Toyota

No sitio achava-se um "jipe Toyota", modelo grande, com carroceria coberta. Quando o jipe era acionado e davam-se voltas com ele ao redor do barracão, ocorria um recrudescimento dos fenômenos, talvez devido ao ruído do motor.

Certa ocasião, o jipe estava lotado e estacionado a uma distancia de cerca de 40 (quarenta) metros da frente de uma tulha. [celeiro; armazém produtos agrícolas] Já era noite. As pessoas da casa e as visitas achavam-se reunidas na casa do sr. Okabe jantando em torno de duas mesas, entre as quais havia um bujão de gás equipado com um tubo longo, na extremidade do qual havia um lampião. De tempos em tempos, ouvia-se o ruído de uma ou outra pedra que inexplicavelmente surgia do ar a uma pequena distancia do bujão e batia no mesmo. Uma das pessoas da família, mais habituada com os fenômenos, alertou os visitantes: "isto e sinal de que o poltergeist ira fazer alguma de suas brincadeiras...".

Não deu outra, dai a instantes todos ouviram um tremendo barulho que assustou as pessoas ali presentes! Saíram munidos de lanterna. Atônitos, verificaram que o enorme jipe havia sido transportado e batera violentamente contra a tulha, vencendo os 40 (quarenta) metros que o separava daquele deposito. O trajeto era em aclive, e o jipe estava lotado, pesando cerca de 2.500 kg! O mais surpreendente foi o fato de não ter deixado no solo as marcas dos pneus! Como teria transposto aquele caminho em ascensão ate a tulha? O impacto foi tão violento que uma das pontas do forte pára-choque de aço do veiculo chegou a entortar!

De onde teria sido extraída a energia para produzir tamanho trabalho?! O jipe estava brecado e com a primeira marcha engatada! Ninguém ouvira qualquer ruído do motor, facilmente perceptível no silencioso ermo daquele sitio e tão próximo como se encontrava o veiculo. Ter-se-ia dado um "apport" semelhante ao ocorrido com os demais objetos transladados de um para outro lugar no barracão? Mistério...

Como começou...

Segundo informações fornecidas por pessoas do local, o sr. Katsumi Okabe teria comprado as terras nos idos de 1962, formando seu sitio a partir dai.

Aproximadamente em 1969, um paraguaio comprou uma dúzia de bananas e sentou-se a beira da estrada para comê-las. Depois de haver comido uma das bananas da penca, notou que haviam desaparecido dali duas delas. Apos ter comido duas bananas, verificou que haviam desaparecido mais quatro. Acreditando que alguém estivesse escondido e roubado-lhe as frutas, o paraguaio tratou de esconder consigo o resto das bananas. Ao tomar esta providencia, sentiu que lhe davam um tremendo soco nas costas, que o fez cair sem sentidos.

Na ocasião em que tal fato ocorrera, uma família paraguaia instalada aproximadamente a meio quilometro da casa do sr. Okabe passou a ser palco de fenômenos inusitados: as camas em que as pessoas estavam dormindo eram levitadas e balançavam de um lado para outro! Temerosos de serem atirados de cima de seus leitos para o solo, os habitantes daquela casa passaram a dormir no chão sob as camas! Mas assim mesmo não tiveram sossego, pois, a noite, enquanto dormiam, eram empurrados para longe dos colchões. Logo mais, os objetos da casa passaram a ser movimentados e atirados para fora, atraindo inúmeros curiosos que vinham assistir aos estranhos fenômenos ali em atividade.

A família paraguaia resolveu mudar-se daquela casa. Porem, lá ficou apenas uma senhora de idade. Esta não quis - não se sabe o porque - deixar a casa. Ao que parece, ela não devia estar se sentindo incomodada. Ela trabalhava na lavoura de tomates do sr. Okabe. Entretanto, aconteceu que ela também recebeu uma saraivada de tomates numa ocasião em que ali se achava trabalhando. A velha ficou brava, pensando que estava sendo vitima de uma brincadeira de mau gosto. Logo apos alguns dias. o filho e a filha do sr. Okabe também foram atingidos por tomates e pepinos, enquanto lá se achavam trabalhando.

A referida horta de tomates distava da casa da velha paraguaia, tanto quanto da casa do sr. Okabe. Os três pontos formam um triângulo quase eqüilátero com cerca de 400m de lado. Era nessa região que ocorriam os fenômenos do poltergeist. Fora desse triangulo, não se observava nenhum fenômeno paranormal.

A mais ou menos 250m distante da casa do sr. Okabe, havia outra construção onde residia outra família paraguaia. Ali jamais se deram fenômenos semelhantes.

Inúmeros outros fenômenos foram registrados durante a atividade desse poltergeist. Mas ficaremos por aqui devido as naturais limitações de espaço disponível nestas colunas.

Há alguma explicação?

Sim, há explicações, mas não são unânimes, pois nem todas conseguem satisfazer as exigências do bom senso.

A teoria mais em voga, adotada atualmente pelos parapsicólogos considerados ortodoxos, e aceita hodiernamente como a mais correta pela maioria dos especialistas, e aquela que atribuía um agente humano a causa de tais fenômenos. Segundo este ponto de vista, o poltergeist e um fenômeno provocado por vivos e não por seres desencarnados, tais sejam: espíritos de mortos, duendes, demônios ou algo semelhante. Portanto, no poltergeist, apenas o agente humano denominado epicentro e o causador dos distúrbios, ruídos, movimento de objetos ("apports"), vozes humanas, levitações, sumiços de objetos etc.

Vejamos as hipóteses " adhoc " necessárias para apoiar a teoria em questão:

  1. O epicentro provoca os fenômenos inconscientemente. Portanto, mesmo no caso em que o epicentro se sinta apavorado com algumas das ocorrências, ou desejando conscientemente que elas não ocorram (casos preocupantes de parapirogenia, em que há perigo de incêndios catastróficos, ou riscos de vida para pessoas amadas etc.), o inconsciente da "pessoa foco" a contraria de maneira insólita e ate desumana, agindo contra suas crenças, seus sentimentos, seus desejos e mesmo contra seu instinto de conservação ou de defesa de si e de sua prole. Por exemplo: nos temos ocorrências em que o marido do epicentro (uma senhora casada) sofreu vários cortes no rosto, provocados pelo poltergeist. Nesse mesmo caso, houve o episodio de uma garotinha golpeada profundamente na perna. (Andrade, 1988, pp. 147-153).
  2. O epicentro fornece ou desenvolve uma energia psicocinética capaz de atuar sobre os objetos materiais ou controlar forcas como a eletricidade, o calor, o magnetismo, a gravidade etc. e, desse modo, provocar os fenômenos observados nos poltergeists. Vai alem, sendo capaz, inconscientemente, de produzir o "apport", com manifestações de transposição - pelo menos assim parece - da matéria através da matéria.

Mencionamos como exemplo o episodio do jipão Toyota de 2.500 kg, no poltergeist do Paraguai que ora relatamos e que teria sido aportado a distancia de 40 metros em aclive as custas da energia do epicentro. Todavia não se observou nenhuma reação em qualquer das pessoas presentes no local, como deveria ocorrer em virtude do tremendo dispêndio de energia ocorrido nesse fenômeno! Onde estaria o epicentro? Ou, se ele existia entre aquelas pessoas - o que parece lógico -, tal agente psicocinético deveria ter tido alguma reação. Será que o principio universal da conservação da energia pode ser derrogado em um caso desses? Ou, então, o epicentro saberia, inconscientemente, produzir a transformação de matéria em energia? Isto e, obter reação nuclear a frio? E, depois disso, aplicá-la no jipão da forma como ocorreu?

Poderíamos estender-nos muito mais, citando outros fatos muito estranhos observados na nossa coleção de poltergeists, porem pedimos licença para ficarmos por aqui.

Infelizmente, somos obrigados a confessar que, pessoalmente, ainda não conhecemos nenhuma explicação satisfatória para os fenômenos poltergeist.

Conclusão

Por mais atraente e mesmo erudita ou "cientifica" que possa parecer uma hipótese explicativa para os casos de poltergeist, não basta que ela ofereça uma formula infalível para fazê-los cessar. E preciso que ela ensine também como produzi-los a vontade, pois há casos de poltergeist que costumam cessar espontaneamente, tão misteriosamente como começaram a ocorrer.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Cadeira de balanço macabra!!!




O MISTÉRIO DA CADEIRA DE BALANÇO
Dona Evarista morava num prédio chique , no centro da cidade de Curitiba . Ela era uma senhora de 70 anos , muito meiga e delicada .

Um certo dia , Dona Marta , sua vizinha do andar de cima , presenteou esta senhora com uma velha cadeira de balanço . Dona Evarista aceitou o presente com toda a simpatia .

Porém , com o passar do tempo , Dona Evarista começou a se sentir mal com a presença daquela cadeira de balanço , pois ela achava que aquele objeto continha uma vibração estranha .

Certo dia , Michele , sua neta de vinte anos de idade , veio visita – la e ao ver aquela cadeira de balanço , exclamou :

Que cadeira de balanço linda , vovó !
Eu sempre tive vontade de ter uma !
Assim , dona Evarista disse :

Então , eu dou esta preciosidade para você !

Michele sorriu e levou o presente para casa .

A jovem colocou esta cadeira de balanço bem na sala de estar , que ficava em frente ao seu quarto .

Porém , com o passar do tempo , Michele notou que havia algo estranho naquele velho objeto .

Algumas vezes , em que ela passava pelo corredor , ela tinha a impressão de que a cadeira se balançava sozinha , sem nenhuma corrente de ar por perto .

Outras vezes , ela teve a impressão de ter visto um homem sentado na cadeira de balanço , quando não havia ninguém em casa .

Um ano se passou , até que chegou o aniversário de sua avó , que resolveu fazer uma festa com vários convidados . Então , numa conversa descontraída sobre móveis usados , dona Sandra , uma das vizinhas do prédio de dona Evarista , perguntou para Michele

: Como vai aquela velha cadeira de balanço que você ganhou de sua avó ?

Deste jeito , Michele respondeu :

Bem , dona Sandra , preciso falar uma coisa sobre esta cadeira com a senhora ...

Então dona Sandra falou :

Pode falar , afinal sou de toda a confiança ...

Assim , Michele comentou :

Aquela cadeira é linda , mas é meio estranha . Ás vezes , tenho a impressão de que a cadeira se balança sozinha . Uma vez eu achei que tinha visto um homem se balançando nela .

Desta maneira , dona Sandra disse :

Esta cadeira tem um horrível segredo que você precisa saber ...

Então , Michele se espantou :

Qual ? !

Deste jeito , dona Sandra resolveu falar a verdade :

Sua avó ganhou aquela velha cadeira de balanço de dona Marta , que teve um filho que se suicidou . O que ocorreu é que o rapaz deu um tiro no próprio ouvido , quando estava sentado naquela cadeira de balanço , e , tem mais um detalhe : este moço adorava aquela cadeira .

Assim , Michele saiu daquela festa muito pensativa . Então , no dia seguinte , ela resolveu colocar fogo naquela velha cadeira .

Porém , enquanto a cadeira queimava , ela escutava alguém gemer :

Uuuuuuuuu .... Uuuuuu ...

O gemido só parou quando a cadeira foi queimada totalmente .

Depois , de tudo isto , Michele rezou pela alma daquele rapaz que se suicidou .

Sinistro!!!!


TEDDY E A MENINA DO CORREDOR
Era uma vez , um músico e bibliotecário chamado Teddy .
Em 2004 , ele estava navegando na Internet e recebeu um e-mail com uma foto estranha de uma menina fantasmagórica no meio de um corredor . No texto desta foto , estava escrito :

Advertências sobre esta fotografia :

D Não encare os olhos da menina ;
Não fixe o olhar na foto .

Origem desta foto :
Um fotógrafo estava fazendo uma reportagem , sobre os conflitos na Indonésia em um dos prédios , assim ele resolveu tirar uma foto num dos corredores vazios e a figura fantasmagórica desta menina no corredor apareceu na sua fotografia . “


Mas , o que realmente encantou e , ao mesmo , tempo assustou Teddy foi a própria figura desta garota , repleta de mistérios e de segredos .
Assim , Teddy ficou encarando esta foto , durante 2 horas em seu computador . Deste jeito , ele acabou sendo hipnotizado pela garota da fotografia .
Naquela noite , o bibliotecário teve o seguinte pesadelo :

Ele sonhou que era um rei e estava num castelo muito bonito . Desta maneira , Teddy resolveu passear pelos corredores vazios deste castelo , quando de repente viu uma moça de costas , com os cabelos compridos e falou :
- Bom – dia !

Então , quando a jovem se virou , ele notou que ela era a menina do corredor , daquela foto estranha , e deu um grito .
Após este grito , o rapaz acordou e não conseguiu mais dormir .
De manhã cedo , o bibliotecário foi até o seu trabalho , ao chegar na Biblioteca , guardou as suas coisas no guarda – volumes e foi arrumar os livros nas estantes , mas no meio de um dos corredores , ele viu uma moça por trás , com os cabelos compridos , e perguntou :
- Posso ajuda – la ?
Assim , a jovem se virou e Teddy teve uma surpresa : ela era a menina do corredor , daquela misteriosa foto . Deste jeito , o rapaz fechou os olhos e começou a gritar :

- Socorro !
- Ela está aqui !
Então , o segurança da biblioteca e a secretária Beth correram até o rapaz e indagaram :
- O que houve , Teddy ?
Assim , o moço falou , todo ofegante :
- Ela estava aqui !
Deste jeito , a secretária perguntou :
- Ela ?
- Ela , quem ?
Assim , o moço gritou :
- A menina do corredor !
Desta maneira o guarda , disse :
- Não entrou ninguém na biblioteca até agora . Pois , eu estava na recepção e não vi ninguém entrar .
Então , Beth indagou :
- Você quer um copo da água ?
Deste jeito , o rapaz aceitou o que a secretária ofereceu .
Na hora do almoço , Teddy , foi até o restaurante chinês da dona Kika .
Ao chegar neste estabelecimento , ele entrou num corredor , viu uma moça por trás , com os cabelos compridos e falou :
- Garçonete , por favor ...
A moça se virou e o bibliotecário levou o mesmo susto : esta jovem era a menina do corredor , daquela foto esquisita .
Assim , o rapaz fechou os olhos e gritou :
- Socorro !
- Outra vez , não !
Então , dona Kika veio em direção ao moço e perguntou :
- O que houve , querido ?
Deste jeito , o bibliotecário explicou :
- Eu vi a menina do corredor !
Desta maneira , dona Kika falou :
- Isto deve ser fome !
- Aguarde um momento , que já irei preparar o seu prato favorito .
Após se alimentar , Teddy voltou ao seu trabalho . Mas , como todos notaram que o rapaz estava nervoso , Marilda , sua chefe , falou :
- Teddy , todos notaram que hoje você não está bem ...
- Você gostaria de sair mais cedo para descansar ?
Assim , o bibliotecário falou :
- Mas , eu não irei fazer falta ?
Então , dona Marilda disse :
- Como hoje é sexta – feira , o movimento está pouco ...
- Portanto , você poderá ir !
Desta maneira , Teddy arrumou suas coisas , foi ao ponto de ônibus , pegou o coletivo e se sentou num dos assentos da parte de trás . Tudo corria bem , até que Teddy viu algo estranho no corredor do ônibus : era a menina do corredor . Assim , o jovem gritou :
- Não !
Então , uma senhora que estava sentada do seu lado falou :
- Não precisa ficar nervoso ...
- Os motoristas desta linha são mesmos uns infratores : correm demais , ultrapassam os sinais vermelhos , mas apesar disto tudo , as pessoas sempre voltam sãs e salvas para as suas casas .
Ao chegar , em seu ponto , Teddy desceu , andou até ao seu apartamento e pegou o elevador . Mas , este elevador estava balançando muito e as suas cordas arrebentaram . Deste jeito , . o elevador desgovernado caiu com o pobre rapaz dentro , que teve o seu corpo espatifado . Mas , nem ele se deu conta disto . Então , o moço pensando que estava no corredor do seu edifício ,o seu espírito saiu da porta do elevador e entrou num corredor muito estranho , todo lilás e rosa . Deste jeito , ele pensou :
- Nossa , será que pintaram os corredores do edifício , hoje ?
- Estas cores são horríveis !
- O pior é que não estou conseguindo achar o meu apartamento !
- Será que eu entrei no edifício certo ?

Então , de repente , ele avistou uma moça por trás , com os cabelos compridos e indagou :
- Moça , reformaram os corredores do edifício , hoje ?
Então , a jovem se virou e o bibliotecário teve uma surpresa : ela era a menina do corredor , daquela foto horrível .
Deste jeito , ele fechou os olhos .
Porém , a garota falou :
- Agora , não adianta fechar os olhos e nem gritar por socorro .

A ABANDONADA ESCOLA FANTASMA


No centro de Curitiba , quase do lado do teatro Guaíra , existia o antigo Colégio Santa Maria , que foi desativado no final dos anos 80 .

O problema é que após o seu abandono , alguns mendigos foram morar nele . Porém , estes moradores de rua , afirmaram ver coisas sobrenaturais neste prédio . Um destes moradores foi o mendigo Zé , já falecido .Ele nos relatou coisas muito estranhas em uma entrevista , feita quando ele ainda estava vivo . Eis o trecho , com as palavras de Zé :

“ – Uma vez eu estava cochilando numa sala de aula abandonada , quando a imagem , meio borrada , de uma professora apareceu e disse :

- Vamos Zé , estou aqui para ensina – lo .

Após isto , ela passou algumas contas no quadro e eu perguntei :

- Quem é a senhora ?

- Onde a senhora mora ?

Assim , ela me respondeu :

- Sou a professora Isabel e meu corpo reside no Cemitério Municipal . Mas , a minha alma sai por aí , para ensinar pessoas menos favorecidas . “

Também , conversamos , com outro mendigo , ex – morador desta escola abandonada . O nome dele é Pedro . Vamos ler o que ele nos falou :

“ – Quando eu dormia no prédio abandonado , do Colégio Santa Maria , sempre via coisas muito estranhas . Eu sempre via turma de alunos uniformizados em vários atos : correndo pelos corredores , em filas , chorando e estudando dentro de algumas salas . Eu , também , sempre escutava vozes , com os seguintes dizeres :

- Acho que tirei zero na prova .

- Ainda bem que a professora não me pegou colando .

- Eu queria ser inteligente . “

Bem , o mais interessante é que no começo do ano 2000 , uma pequena parte deste colégio abandonado , foi comprado por um hotel .

Uma amiga , que ficou hospedada neste hotel , disse que , também , viu coisas sobrenaturais nele . No mesmo dia em que ela ficou hospedada , esta moça teve o seguinte sonho :

Ela sonhou que um grupo de crianças , com uniformes nas cores azul e amarelo , chegou para ela e disse :

- Queremos nossa escola de volta !

- Transformaram um pedacinho da nossa escola em hotel , isto não está certo !

Após escutar isto , ela acordou .

E você , leitor , conhece alguma história semelhante ?

Acredite se quiser! Eu nao creio! Isso já e exagero!




YU - GI - OH !
Introdução :

O desenho japonês Yu – Gi – Oh! é um desenho animado que é repleto de mensagens subliminares , que analisaremos a seguir .

Enredo

Este desenho conta a história das disputas de um jogo de cartas místicas , cada uma destas cartas corresponde a um monstro , que pode servir como ataque ou defesa . Este jogo de cartas , foi inventado pelo personagem Pégasus , que tem ligações com magia , com esoterismo e com a cultura egípcia .

Pégasus é o antagonista da História , pois ele costuma aprisionar as almas das pessoas neste baralho mágico .

O protagonista e herói é o personagem Yu – Gi – Oh , que joga estas cartas místicas para libertar as almas dos seus amigos aprisionados .

Mensagens Subliminares e Esotéricas

As mensagens subliminares e esotéricas são muitas neste desenho .

Como sabemos , existem vários tipos de tarô : tarô de Marselha , tarô Cigano , tarô Egípcio , tarô asteca ; tarô de Papus , tarô de Aleister Crowler e tarô satânico .

Aqui , neste desenho animado , vemos que algumas cartas do jogo , foram tiradas do tarô satânico .

Basta , vocês prestarem atenção em algumas cartas :

mago negro ;
dragão branco de olhos azuis ;
dragão bebê ;
chifre do unicórnio ;
mago do tempo ;
garota arqueira ;
lágrimas da sereia ;
arlequim ;
harpia ;
castor guerreiro , etc.

Outra coisa que devemos prestar atenção é na presença da cultura egípcia neste desenho .

Pégasus , o antagonista , é dotado do olho do milênio que lhe dá poderes mágicos . Aqui , fica obvio que este olho do milênio foi inspirado em Hórus , o olho egípcio que tudo vê .

Relatos Envolvendo o Desenho Yu – Gi – Hu :

Na vida real , há muitos relatos , envolvendo este desenho . Vamos , abaixo , ler alguns :

Brincando com as Cartas :

Rosilda é emprega doméstica e trabalha há dois anos com a mesma família .

Na casa em que ela trabalha , há duas meninas : Letícia de 12 anos e Vanessa de 8 anos .

Um certo dia , estas crianças , depois de assistirem ao desenho Yu – Gi – Oh , resolveram desenhar algumas cartas deste desenho para brincarem de duelo .

Assim , elas desenharam várias cartas : mago negro ; harpia ; mago do tempo , dragão bebê ; dragão branco de olhos azuis ; arlequim ; castor guerreiro ; etc.

Depois , elas cortaram os desenhos em formatos de cartas e começaram a jogar , na sala . Então , Rosilda foi lavar a louça na cozinha , quando de repente escutou um grito de Vanessa :

Socorro !

A empregada correu até a sala e viu Letícia tendo uma espécie de ataque epilético . Assim , ela ligou para a mãe das garotas , que levou a criança atacada para o hospital . Depois de algum tempo , seus exames não diagnosticaram nada . Assim , elas nunca mais brincaram com as cartas .

Conclusão : Com certeza , a mensagem que os autores do desenho querem passar é que o mal se combate com o mal . Pois , Yu – Gi – Oh , o protagonista , por mais bom que seja , não consegue escapar deste duelo de cartas esotéricas .

E no desejo de hoje , quem vencerá o jogo ?

Não creio nessas baboseiras! Pra mim a garota e epilética!
Que vc acha?

Como tem gente com imaginacao fertil hauahauahauahau!!!!



O Perigo das Canetas Bic

Elas são sondas espaciais que nos espionam.

Essa história é bem divertida. Ela fala dos perigos de se usar as mundialmente famosas canetas Bic. Quem alerta é o Serviço Secreto União dos Povos.

Segundo a mensagem, as letras da marca dessa caneta formam a abreviatura de Big Inspekto Center, ou seja Centro de Grandes Inspeções. E quem realiza essas grandes inspeções?

É aí onde reside o perigo. Essas canetas, presentes em quase todos os lugares da casa ou do escritório, são, na verdade, sondas espaciais camufladas enviadas à Terra por aliens, seres alienígenas.

A Nasa está envolvida nessa trama articulada pelos aliens. Os alienígenas estão interessados em invadir a Terra e conta com a colaboração da Agência Espacial Americana nessa empreitada.

Qual o interesse da NASA nessa invasão?

Mistério total, pois se não houvesse mistério, informações sonegadas, interesses nebulosos então não haveria nenhuma teoria conspiratória, nem mesmo esta aqui.

Tudo não passa de mais uma história divertida.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

So pra descontrair! hauahuahaua


Print Screen em Portugal!
Burrice e pouco hauahauahuahaua!!!!

15 mitos da teoria da evolução



A evolução biológica é originada pelas modificações. Essa definição abrange evolução em pequena escala (mudanças na freqüência genética em uma população entre uma geração e a seguinte) e mudanças em grande escala (a origem de espécies diferentes de um ancestral em comum ao longo de muitas gerações). A evolução nos ajuda a entender a história da vida. Enquanto a evolução é largamente aceita, muitas pessoas se prendem a idéias erradas sobre ela. Esta lista deverá a ajudar a dissipar muitos destes mitos.

15. A evolução é uma teoria sobre a origem da vida

A Teoria da Evolução lida essencialmente com a maneira em que a vida esteve mudando depois de sua origem. A ciência está interessada nas origens da vida (por exemplo, a composição da sopa primordial de qual a vida poderia ter se originado), mas estes não são os assuntos cobertos pela área da evolução. O que se sabe é que, independente do seu início, em algum ponto a vida começou a se ramificar. A evolução é então dedicada ao estudo destes processos. A origem da vida era inevitável


14. Os organismos estão sempre melhorando

Enquanto é fato que a seleção natural remove partes insalubres de um conjunto de genes, há muitos casos em que organismos imperfeitos sobreviveram. Alguns exemplos disto são os fungos, tubarões, lagostim e musgos. Todos estes não se modificaram em essência durante um grande período de tempo. Estes organismos são todos suficientemente adaptados nos seus ambientes para sobrevivem sem melhorias.

Outros mudaram muito, mas não necessariamente para melhor. Algumas criaturas que tiveram seus ambientes modificados e suas adaptações podem não ter sido adequadas à sua nova situação. A adequação está ligada ao seu ambiente, não ao progresso. Anorexia pode ser fruto da evolução


13. Evolução significa que a vida mudou “ao acaso”

Em realidade a seleção natural não é aleatória. Muitos animais aquáticos, por exemplo, precisam de velocidade para sobreviver e se reproduzir. As criaturas com esta habilidade são mais adequadas aos seus ambientes e tem maiores chances de sobreviver à seleção natural. Em seguida eles irão produzir mais descendentes com os mesmos traços, e o ciclo continua. A idéia de que evolução ocorre ao acaso não leva todo o cenário em conta. Explicado fenômeno que sustentou teoria de Darwin


12. Seleção natural envolve organismos “tentando” se adaptar

Os organismos não “tentam” se adaptar, é a seleção natural que permite que vários membros de um grupo sobrevivam e se reproduzam. A adaptação genética está totalmente fora do alcance do organismo em desenvolvimento. DNA humano sofreu mudanças grandes nos últimos 10 mil anos


11. Seleção natural dá aos organismos o que eles “precisam”

A seleção natural não tem “inteligência”, não pode saber o que as espécies precisam. Se uma população possui variações genéticas que são mais adaptadas aos seus ambientes, eles irão reproduzir mais na próxima geração (porque possuem maiores chances de sobrevivência), e a população irá evoluir. Se a diversidade genética não está presente a população provavelmente morrerá ou sobreviverá com poucas mudanças evolucionárias. Evolução faz grilo havaiano parar de cantar


10. Evolução é “só” uma teoria

Cientificamente falando, uma teoria é uma idéia bastante evidenciada que explica aspectos do mundo natural. Infelizmente outras definições de teoria (assim como “suposição” ou “palpite”) causam uma grande confusão no mundo não-científico quando se lida com ciência. Eles são, na realidade, dois conceitos bem diferentes. Por que não somos todos lindíssimos?

Teoria (Dicionário Houaiss da língua portuguesa):
1. conjunto de regras ou leis, mais ou menos sistematizadas, aplicadas a uma área específica
5. qualquer noção abrangente; generalidade
Ex.: falava sem parar, contava casos e expunha teorias


9. Evolução é uma teoria em crise

Não há dúvida em ciência que a evolução tenha ocorrido. Há sim, no entanto, debate sobre como ela ocorreu. As minúcias do processo são vigorosamente debatidas, o que podem fazer com que os anti-evolucionistas acreditem que é uma teoria em crise. Evolução é pura ciência e é tratada assim por cientistas em todo o mundo. Juiz dos EUA proíbe "desenho inteligente" em escola pública


8. As lacunas nos registros de fósseis refutam a evolução

Em realidade existem muitos fósseis transicionais. Por exemplo, há fósseis de organismos transicionais entre os pássaros modernos e seus ancestrais dinossauros. Há muitas formas transicionais que não foram observadas, mas isso ocorre simplesmente porque alguns organismos não se fossilizaram bem ou existiram em condições que não permitiram o processo de fossilização. A ciência prevê que haverá lacunas no registro de muitas mudanças evolutivas. Isso não refuta a teoria. Descoberto fóssil que pode ser a chave para a evolução humana


7. A teoria evolucionária está incompleta

A ciência evolucionária é um trabalho em andamento. A ciência está constantemente realizando novas descobertas com respeito a isso e as explicações são sempre ajustadas se necessário. A teoria evolutiva é como todas as outras ciências neste ponto. A ciência está sempre tentando ampliar nossos conhecimentos. No presente, a evolução é a única explicação sólida para toda a diversidade biológica existente. O que os cientistas acreditam sem poder provar?


6. A teoria é falha

A ciência é um campo extremamente competitivo. Se qualquer falha é descoberta na Teoria da Evolução ela será rapidamente corrigida. Todas as falhas alegadas, que os criacionistas colocam em evidência, foram investigadas cuidadosamente por cientistas e elas simplesmente não casam. Elas são comumente baseadas em maus-entendimentos da teoria ou más-interpretações das evidências. De onde viemos? Impossível de saber, diz cientista


5. Evolução não é ciência, pois não é observável

A evolução é observável e testável. A confusão aqui ocorre porque as pessoas pensam que a ciência é limitada a experimentos em laboratórios por técnicos com jalecos brancos. Na realidade uma grande quantidade de informação científica é reunida no próprio mundo real. Astrônomos obviamente não podem tocar fisicamente os objetos que estudam (estrelas e galáxias, por exemplo), no entanto uma grande quantidade de conhecimento pode ser adquirida através de múltiplas linhas de estudo. Isso também é verdade no caso da evolução.Também é verdade que haja muitos mecanismos da evolução que podem ser, e são estudados através de experimentação direta com outras ciências. Humanos têm evolução super acelerada


4. A maioria dos biólogos rejeitaram o Darwinismo

Cientistas não rejeitam as teorias de Darwin, eles as modificaram através do tempo à medida que mais conhecimentos tem sido descobertos. Darwin considerou que a evolução progrediu de maneira deliberada e lenta, mas em realidade já foi descoberto que ela pode ocorrer em ritmo acelerado sob certas circunstâncias. Não houve, até o momento, nenhum desafio convincente aos princípios básicos da teoria de Darwin. Os cientistas melhoraram e expandiram a teoria darwiniana original da Seleção Natural: ela não foi rejeitada. Houve também adições. Pássaros exibem seleção natural em tempo real


3. A evolução leva a comportamentos imorais

Todas as espécies animais possuem padrões de comportamentos que elas compartilham com os outros membros de sua espécie. Lesmas agem como lesmas, cães como cães e humanos como humanos. É ridículo presumir que uma criança passará a comportar-se como outra criatura quando descobre que está relacionado a ela. É absurdo ligar evolução a comportamento imoral ou inadequado. Homem é mais engraçado que mulher


2. A Evolução apóia o "mundo é dos fortes"

No século 19 e início do século 20 uma filosofia chamada Darwinismo Social brotou de tentativas extraviadas de aplicar evolução biológica à sociedade. Essa filosofia disse que a sociedade deveria permitir que os fracos enfraquecessem e morressem. E isso não seria apenas a situação ideal, mas a moralmente correta. Isso permitiu a racionalização de preconceitos. Alguns se tornaram muito populares como: Os pobres mereciam a situação em que viviam devido a serem menos aptos. Isso foi uma apropriação indébita da ciência. O Darwinismo Social foi, felizmente, repudiado. A evolução biológica não. Seleção natural cria robôs assassinos

1. Os professores deveriam ensinar os dois lados

Existem dezenas de milhares de visões religiosas diferentes a respeito da criação. É simplesmente impossível que todas estas perspectivas sejam apresentadas. Além disto, nenhuma das teorias é baseada em ciência e, portanto não tem lugar nas aulas de ciências. Em aulas de ciências os estudantes podem debater em que ponto uma criatura criou um novo galho na árvore da vida, mas não é correto argumentar uma crença religiosa na aula de ciência. O argumento do que seria "justo" é freqüentemente usado por grupos na tentativa de injetar seus dogmas religiosos no currículo científico. Justiça russa se recusa a proibir ensino da evolução

Descoberto fóssil que pode ser a chave para a evolução humana

O mais recente fóssil desenterrado de um hot spot de ancestrais humanos na África permitiu aos cientistas construir a cadeia mais completa da evolução humana até agora. O fóssil de 4,2 milhões de anos descoberto no nordeste da Etiópia ajuda os cientistas a responder as dúvidas sobre como os ancestrais humanos deram o salto de uma espécie para outra.

Isso foi possível porque o novo fóssil, da espécie Australopithecus anamensis, foi encontrado na região de Awash, onde sete outras espécies de hominídeos - se espalhando por 6 milhões de anos e três das principais fases do desenvolvimento humano - foram descobertas anteriormente.

"Nós descobrimos a cadeia da evolução, a continuidade através do tempo", anunciou um dos co-autores do estudo, o antropólogo etíope Berhane Asfaw. "Uma forma evoluiu para outra. Esse fóssil é a evidência da evolução em apenas um lugar ao longo do tempo". As descobertas foram publicadas na última edição da revista científica Nature.

A espécie anamensis não é nova, mas sua localização é o que ajuda a explicar a mudança de uma fase pré-humana para a seguinte, dizem os cientistas. As oito espécies foram descobertas muito próximas, a menos de um dia de caminhada uma da outra.

Até agora, o que os cientistas tinham eram fragmentos da história da evolução, espalhados por todo o mundo. Encontrar todos em uma só área faz que estes fragmentos componham uma espécie de filme caseiro da evolução. "É como 12 quadros de um filme caseiro, mas que cobre 6 milhões de anos", disse o autor principal do trabalho, Tim White, co-diretor do Centro de Pesquisas em Evolução Humana da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. "A chave aqui é a seqüência", disse.

O homem moderno pertence ao gênero homo, que é um subgrupo da família dos hominídeos. A espécie que evoluiu para o homo é provavelmente o gênero Australopithecus (também chamado de "homem-gorila"), cujo exemplo mais famoso é Lucy, fóssil de 3,2 milhões de anos encontrados três décadas atrás. Um candidato-chave para o gênero que evoluiu para o Australopithecus é chamado Ardipithecus. A descoberta na Etiópia é importante por conectar os dois.

Em 1994, um esqueleto parcial de um hominídeo que viveu há 4,4 milhões de anos, da espécie Ardipithecus ramidus - a mais recente das espécies de Ardipithecus - foi encontrado a cerca de dez quilômetros da última descoberta.

"Essa parece ser a conexão entre o Australopithecus e o Ardipithecus como duas espécies diferentes", disse White. A diferença mais importante entre essas duas fases da história do homem é a presença de dentes maiores, melhores comer alimentos mais duros, disse. Mesmo que seja a hipótese mais provável, contudo, ainda não é certo que o Ardipithecus tenha evoluído para o Australopithecus, disse White. A descoberta não elimina completamente a possibilidade de o primeiro ter desaparecido e o segundo ter se desenvolvido independentemente

SINISTROOOOOO!!!!!!!!!




Um idoso de 81 anos acordou no meio de seu próprio velório, para a surpresa de amigos e familiares que choravam sua morte na pequena cidade chilena de Angol.

Os familiares de Felisberto Carrasco pensavam que o homem estava morto porque o corpo dele estava frio e imóvel. Em vez de chamarem um médico para comprovar a morte, chamaram uma funerária, que o levou vestido com sua melhor roupa para o velório.

"Não podia acreditar. Pensei que estava errado e fechei os olhos. Quando voltei a abri-los, meu tio estava me olhando. Comecei a chorar e corri para buscar alguma coisa para abrir o caixão" relatou Pedro Carrasco ao jornal chileno Últimas Notícias.

Uma vez retirado do caixão, Felisberto disse que não sentia dor alguma e pediu um copo de água. As rádios da cidade tiveram que retificar o anúncio da morte, que já havia sido divulgada.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Professora do sonho de qualquer adolescente! Safada!


O que aconteceu??

Uma ex-professora do ensino médio foi condenada a seis anos de prisão por ter mantido relações sexuais com cinco garotos adolescentes.

As autoridades dizem que Allenna Ward, de 24 anos, abusou dos jovens (com idades entre 14 e 15 anos) em Laurens, na Carolina do Sul (nos Estados Unidos), em diversas ocasiões -num motel, num parque e num restaurante.

"Peço desculpas do fundo do meu coração, afirmou Ward perante os juízes.

"Sinto que a Justiça foi feita", disse a irmã de uma das vítimas ao final do julgamento. "Estamos satisfeitos que isso acabou."

O que deveria ter acontecido???
E por dar uma alegria inigualável e uma confiança inabalável para toda a vida destes jovens rapazes, eu tenho o prazer de premiá-la como professora do ano!


O que todos os demais adolescentes de 14 anos estão falando??
Isso é injusto! Eu também quero uma professora assim!!

Fantasma do monge!


Goleiro do Arsenal vive em casa mal-assombrada

Plantão | Publicada em 20/02/2008 às 13h52m

O goleiro Almunia, do Arsenal, enfrenta um problema pouco comum entre jogadores de futebol: o espanhol divide o teto com fantasmas, que andam assustando sua família. Em declarações à imprensa inglesa, o atleta revelou que desde que se mudou para sua atual casa tem convivido com fatos inexplicáveis.

- Pouco depois de nos mudarmos, começamos a ouvir barulhos de correntes arrastando no chão. Depois, enquanto dormíamos, o som ligava sozinho no volume máximo. Coisas estranhas assim têm acontecido - contou o goleiro.

O mais assustador, segundo Almunia, foi quando um monge fantasma apareceu em seu quarto à noite, segurando um candelabro na mão.

- Minha esposa me acordou de repente com um grito e contou o que viu. Ela estava na cama, ao meu lado. Eu não vi o monge, mas fiquei morrendo de medo - disse.

Após a visita do monge, Almunia conseguiu com o técnico do Arsenal, Arsene Wenger, permissão para almoçar todos os dias em casa. O goleiro fez o pedido porque não queria deixar a esposa Ana sozinha.

A aparição de assombrações tem explicação para Almunia: a casa onde mora teria sido construída no mesmo local que havia sido um hospital psiquiátrico durante a Segunda Guerra Mundial. O jogador, no entanto, também considera outras possibilidades.

- Conversei com os vizinhos e eles falaram que isso era normal. Talvez seja magia negra, não sei. Mas algumas coisas definitivamente muito estranhas vêm acontecendo - declarou o espanhol.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Fantasmas em edifícios de São Paulo



Histórias de fantasmas habitam a imaginação e a vida de pessoas que convivem com lugares marcados por tragédias. Funcionários e visitantes de dois grandes edifícios de São Paulo (Edifício Andraus e Martinelli) afirmam que os prédios são habitados por fantasmas e que ouvem barulhos estranhos durante a noite.
No dia 24 de fevereiro de 1972, o edifício Andraus foi vítima de um incêndio (que acredita-se que tenha começado com anúncios de publicidade colocados na marquise do prédio) que matou 16 pessoas e feriu mais de 300.
Um dos motivos que impediu uma tragédia maior foi o fato do Andraus ter um heliporto no último andar. Hoje, o prédio que fica localizado no centro de São Paulo é um dos mais seguros da cidade.
11 anos depois do incêndio, muitos funcionários do edifício, principalmente vigias noturnos e seguranças, afirmam ouvir sons estranhos vindos de certos locais do Andraus.
Armários que abrem as portas sozinhos, gritos nas escadas e ruídos estranhos fazem parte da rotina dos funcionários do edifício. Alguns deles afirmam realmente ter ouvido sons durante a noite, mesmo sabendo que o prédio estaria complemente vazio.
É inevitável não fazer ligações entre os sons estranhos vindos do interior do prédio com o sofrimento das pessoas que morreram naquele triste dia 24 de fevereiro.
Mas não são só prédios marcados por catástrofes que tem seus contos de fantasmas e histórias assustadoras. O edifício Martinelli, localizado também no centro de São Paulo, guarda histórias assustadoras sobre uma "hospede" inusitada.
Acredita-se que uma moça loira e sem rosto circula pelo interior do Martinelli durante a noite. Ela teria os cabelos compridos, impedindo que se veja sua face. Algumas pessoas afirmam que já viram máquinas de escrever funcionarem sozinhas e portas de armários baterem.
Os funcionários e visitantes que conhecem a história afirmam que a loira deve ser da época do inicio da construção, por volta de 1930, que ronda o edifício até hoje.
São histórias assustadoras de pessoas que já passaram por momentos difíceis a noite dentro dos prédios citados acima que tornam mais místicas e fantásticas as histórias de fantasmas que assombram casas e prédios em grandes cidades. Se é verdade ou não, dificilmente saberemos, mas uma coisa podemos concluir - Ou a história desses prédios alimenta a imaginação fértil de contadores de histórias, ou coisas muito assustadoras acontecem lá dentro.

Mais uma de ET recente! 16/02/2008 Até musiquinha inventaram pra ele hauahauahau Insana!


A febre de óvnis continua mobilizando boa parte da população de Riolândia, cidade a 280 km de Ribeirão Preto, na divisa com Minas Gerais. Desde o mês passado, estranhas marcas aparecem em canaviais e luzes não identificadas riscam o céu durante a madrugada.
Até o início de fevereiro, apenas um hóspede da pousava Piapara, onde tudo começou, havia conseguido filmar o que seriam objetos voadores não identificados. Agora, vários moradores e até o dono da pousada gravaram as luzes e já surgem depoimentos de pessoas que garantem ter visto, de perto, um óvni.
O depoimento do lavrador Aparecido Marques Alves de Souza, 25 anos, é um dos mais fortes. “Era de madrugada, dia 19 do mês passado. Eu e meu irmão estávamos de barco, pescando no rio Grande. De repente, escutei um barulho estranho, vindo de cima, achei que era um avião”, conta ele.
“Olhei para cima e avião não era, era quadrado, parecia um vagão de trem. O troço passou devagar sobre a gente e desceu num canavial”, lembra.
O pescador não gostou do que viu. “Virei pro meu irmão e falei - Vamos vazar que isso é coisa de assombração”, conta.
O depoimento, filmado, foi coletado pelo ufólogo Roberto Affonso Beck, 74 anos, e pelo auxiliar Herbert Brüggemann, 51 anos, da equipe da Entidade Brasileira de Estudos Extraterrestres, que desde a semana passada mantém um esquema de vigília nas noites de Riolândia - durante o dia, gravam depoimentos de moradores que teriam testemunhado a aparição do óvni.
Planeta, não
Pesquisando óvnis há 51 anos, o ufólogo Roberto Beck recomenda que se concentrem as atenções sobre as marcas nos canaviais, e não sobre as luzes no céu.
“Todas as possíveis causas naturais estão descartadas, e não é por nós, mas pelo agrônomo e pelo meteorologista que a Prefeitura de Riolândia trouxe para cá em janeiro. A primeira coisa a fazer é descobrir como surgem essas marcas nos canaviais”, comenta.
Segundo Victor Diogo da Silva, 20 anos, filho do dono da pousada, já são mais de cem as áreas tombadas nos canaviais. A maior tem cerca de 60 metros de diâmetro. A cana amanhece apenas tombada - os pés não se quebram. Por isso, em pouco dias os pés voltam ao normal e os donos da cana não reclamam de prejuízo.
“Nas áreas maiores, a cana só tomba e continua verde. Nas menores, além de tombar, a cana amarela, fica seca de uma vez”, explica.
Jorge Nery, da Ong Instituto Nacional de Astronomia e Pesquisas Espaciais, enviou essa semana uma ofício à Aeronáutica, pedindo ajuda para esclarecer o que ocorre em Riolândia.
Contatado, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, órgão do governo federal, disse não ter registro de nada de anormal na área de Riolândia.
O ufólogo Beck, porém, insiste: “Uma coisa grande está andando por aqui”.

Música debocha de ET
Desde o mês passado não se fala em outra coisa em Riolândia - os óvnis que estariam pousando em canaviais ao lado do rio Grande são o grande (e único) assunto da cidade de menos de dez mil habitantes.
Por isso, o locutor de rodeios, cantor e compositor Jorge Moisés, 35 anos, que ganhou fama local com letras de suco sentido, não perdeu tempo e compôs “ET de Riolândia”, já gravada em CD.
A letra é hilária. O ufólogo Roberto Beck ouviu e não gostou. “Isso é gozação, é brincadeira com coisa séria”, reclama.
O comerciante Marcos, 35 anos, irmão do compositor, contou na última quinta-feira que Jorge Moisés estava em São Paulo, “colocando arranjo na música”, já que a gravação original é só com violão.
“O sucesso da música aqui na região é tão grande que ele quer lançá-la em nível nacional”, explica.
A letra conta a história de um pescador convidado a ir com os ETs. Trechos selecionados:
“Eu estava no rio dando uma de pescador/ quando eu vacilei meu anzol afundou/dei um puxão na vara que o peixe levantou/quando eu olhei para cima vi um disco voador”.
“Eu fiquei com medo e comecei a tremer/tudo iluminado lotadinho de ET/chamou para ir com eles e tive de responder/então eu respondi/Vâmo-Ete, Vâmo-Ete”.
“E sobe ET/e desce ET/cavuca ET/Vâmo-Et/Vâmo-Et”.

Pousada compra filmadora
Toda a polêmica sobre óvnis em Riolândia começou com Maurício Pereira da Silva, 39 anos, dono da pousada Piabara, que na madrugada de 19 de janeiro teria sido o primeiro a ver a o objeto voador não identificado.
Ele tinha acordado de madrugada e da janela da cozinha avistou um grande objetivo pairando sobre um canavial.
Assustado, Maurício voltou para o quarto e se trancou. Ao amanhecer, foi até o local e descobriu a primeira área com cana tombada.
Nos dias seguintes, vários hóspedes avistaram e mesmo filmaram estranhas luzes no entorno da pousada. E Maurício, sem máquina fotográfica ou filmadora, apenas acompanhava a movimentação noturna de seus hóspedes.
“Aí não agüentei mais. Fui até São José do Rio Preto e comprei uma filmadora e um tripé. Também queria ter a chance de gravar essas imagens”, conta ele, que desembolsou mais de R$ 1 mil no equipamento.
E deu certo. Na madrugada de quarta para quinta-feira última, durante sua vigília noturna, a luz voltou a aparecer e foi devidamente gravada. E a emoção dele aparece claramente durante a exibição das imagens.
Quando a luz aparece, ouve-se uma voz nervosa: “Está gravando? Está gravando?”. Fora do tripé, a filmadora treme na mão do experiente pescador, acostumado com outro tipo de apetrecho.
“Mas valeu a pena. Agora eu não descrevo o que vi. Eu mostro a gravação”, comemora.

“Rastro de ET” ou de bicho
A febre de óvnis em Riolândia é tal que até rastros de ETs são procurados em meio aos canaviais. E tem gente que encontra, filma e exibe rastros diferentes como se fossem de seres extraterrestres.
Uma das filmagens que mais sucesso faz entre os moradores é a de pegadas de um animal com cinco dedos.
A Cidade exibiu fotos das pegadas para o zootecnista Alexandre Gouvêa, do Bosque e Zoológico Municipal “Fábio Barreto”, de Ribeirão Preto.
“Primeiro descartamos os felinos. Onça, jaguatirica, nada disso combina com essas marcas, que já os rastros deles têm apenas quatro dedos”, explica Gouvêa.
“Primatas, também não pode ser, já que o dedo equivalente ao nosso polegar estaria na horizontal em relação aos demais dedos”, destaca.
“A única espécie que existe naquela região e deixa marcas semelhantes é o mão-pelada, um carnívoro”, afirma Gouvêa. “Se o solo estiver bem úmido, e for um animal adulto, pode deixa rastros como esses”, diz.
O mão-pelada (Procyon cancrivorus) é um mamífero carnívoro da família dos procionídeos bastante parecido com os quatis e os guaxinins (mas sem as patas esbranquiçadas).
Essa espécie habita uma extensa região que vai da Costa Rica ao Uruguai. Medem cerca de 60 cm e têm patas com cinco dedos. Também são conhecidos pelos nomes de cachorro-do-mangue, iguanara, jaguacampeba e jaguacinim.

Lenda: Plogojowitz, Famoso Vampiro da Sérvia


Um dos mais famosos vampiros históricos, Peter Plogojowitz morou em Kisolova, uma pequena vila na Sérvia ocupada pelos austríacos. Área oficialmente incorporada à província da Hungria. Kisolova não ficava muito longe de Medgevia, a terra de Arnold Paul, outro famoso vampiro cujo o caso ocorreu naquela mesma época. Plogojowitz morreu em setembro de 1728, aos 62 anos. Três dias mais tarde, no meio da noite, entrou na sua casa, pediu comida a seu filho, comeu e saiu. Duas noites mais tarde reapareceu e novamente pediu comida. O filho recusou-se a atendê-lo e foi encontrado morto no dia seguinte. Logo depois, diversos moradores da vila ficaram doentes, com fadiga, diagnosticada como excessiva perda de sangue. Relataram que, num sonho, tinham sido visitadas por Plogojowitz, que os tinha mordido no pescoço, sugando-lhes o sangue. Nove pessoas morreram misteriosamente dessa estranha doença na semana seguinte.

O principal magistrado enviou um relatório das mortes ao comandante das forças imperiais, e o comandante respondeu com uma visita à vila. Os túmulos de todos os recém falecidos foram abertos. O corpo de Plogojowitz continua um enigma — parecia estar num transe e respirava suavemente. Seus olhos estavam abertos, suas carnes estavam roliças e sua compleição corada. Seu cabelo e suas unhas pareciam ter crescido e pele fresca foi encontrada bem abaixo da epiderme. Mais importante, sua boca estava manchada com sangue fresco.

O comandante concluiu de pronto que Plogojowitz era um vampiro. O executor que foi a Kisolova com o comandante enfiou uma estaca no corpo de Plogojowitz. O sangue espirrou das feridas e dos orifícios corporais. O corpo foi em seguida queimado. Nenhum dos outros corpos apresentava sinal de vampirismo. Para protegê-los e aos moradores, alho foi colocado nas sepulturas e os corpos devolvidos às valas.

A história foi relatada pelo Marquês d'Argens em seu Lettres Juives, que foi protamente traduzido para o inglês em 1729. Embora não tão conhecidos quanto os incidentes que começaram com Paul Arnold, o caso Plogojowitz se tornou uma pedra fundamental para a controvérsia do vampiro na década de 1730.

Vampiros existiram pode ser que ainda existam! Psicose secular

Sinistro!!!!
Um caso interessante foi o do padre Charbel Manklouf. Ele fora monge baladita libanês do mosteiro de São Marmn de Annaya, nascido em 1828 e morto aos 70 anos de idade em 1898. Seu corpo foi sepultado no cemitério do convento. Um ano depois foi necessário resgatar o caixão que ficou meio descoberto devido à chuvas torrenciais que transformaram o cemitério num deforme lamaçal, para transferi-lo para outro lugar menos exposto. Preocupados com o estrago que o mau tempo poderia ter causado no fétero, decidiu-se pôr o corpo em um caixão novo e, para surpresa de todos, encontraram o padre não só absolutamente incorrupto como também com os membros frescos e flexíveis como os de um corpo de alguém que dorme.
Então os frades puseram-no num caixão novo e resolveram deixa-lo descoberto exposto à piedade dos devotos. Assim, pode-se constatar que este cadáver transpirava. Devido à falta de cuidado, o rosto do padre sofreu assaltos dos fanáticos que desejavam possuir relíquias ao longo dos vinte e oito anos que o corpo permaneceu visível e acessível aos devotos e curiosos., Em 1927, decidiram coloca-lo junto aos mortos devido a estas agressões. O corpo do padre Charbel foi colocado em um ataúde de cedro forrado de chumbo e posto num nicho aberto em uma das paredes da cripta da igreja de Annaya sendo que seu sepulcro foi lacrado com a data de 24 de junho de 1927.
Em 1950, ou seja, vinte e três anos depois um frade descobriu assombrado que uma estranha umidade estava começando a ser vertida daquela parede, pôs seus dedos e quando retirou-os estavam vermelhos, molhados de sangue. Então tornaram a exumar o corpo e este se encontrava igual que em 1927. No ato do desenterramento estavam presente uma comissão eclesiástica e uma delegação científica. Esta delegação esteve estudando o caso durante dois anos e emitiu o seguinte relatório oficial em 1952: "A delegação médica e científica não pôde deixar de constatar a evidência dos fatos, seu caracter excepcional e a ausência de qualquer intervenção humana. Nunca se procedeu, nem no passado, nem agora, a embalsamar o corpo do monge".
No dia 7 de agosto de 1956 quis-se, com grande segredo, executar uma última averiguação e tornou-se a abrir o caixão que estava com as paredes externas salpicadas de sangue. A corpo encontrava-se igual a como estava em 1927 e flutuava no líquido que havia estado segregando. Apenas suas poupas haviam apodrecido mas constatou-se que "as carnes cediam elasticamente sob a pressão dos dedos como as de um ser vivo e as articulações continuavam flexíveis". Tendo em viste todas estas constatações é pois certo que se voltássemos hoje para novamente inumar o corpo encontrá-lo-íamos igual a sempre. Seria interessante mandar um pouco do tal líquido para análise a fim de averiguar se trata-se mesmo de sangue normal ou se as novas técnicas médicas constatariam alguma irregularidade.
Averiguar a verdade somente com um pouco de sorte, quem sabe você ainda não vê algo parecido!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

E ai!



Fala galera!!!!
Criei esse blog por pura falta do que fazer mas por mais incrivel que seja to bem gostando da ideia!!
Achei legal ficou maneiro!
Vou postar aqui mais vezes com certeza!
Aqui vou postar noticias variadas, curiosidades e tudo mais que for interessante na grande rede!
Beijos pra minha namorada gata! Abraco pros amigos e amigas que que acessam!

EXTRATERRESTRES: REAL OU IMAGINÁRIO? Casos...


ABDUÇÃO EM MINAS GERAIS
QUANDO 1957
ONDE SÃO FRANCISCO DE SALES (MG)
O CASO Na noite de 5 de outubro, o lavrador Antônio Villas Boas teria visto, pela janela de casa, uma luz forte no campo. Dias depois, quando estava no campo, novamente veria uma luz intensa. Na madrugada seguinte, quando dirigia seu trator, Villas disse ter sido levado por um grupo de alienígenas para dentro de uma nave. Segundo seu relato, os ETs fizeram uma série de exames físicos e, depois de algum tempo, uma ET até manteve relações sexuais com ele! Antônio teria sido solto por volta de 5h30 da manhã.
AUTENTICIDADE Baixa.
Villas Boas foi a única testemunha e não fez fotos. Mesmo assim, o caso, um dos mais antigos do Brasil, é respeitado devido às sessões de hipnose às quais Antônio foi submetido, quando revelou detalhes do episódio.

LUZES DE OUTRO MUNDO
QUANDO 1977
ONDE COLARES (PA)

O CASO Luzes misteriosas
do céu começaram a ferir moradores dessa pequena cidade. Muitos habitantes se queixaram de queimaduras e houve pelo menos um relato de encontro com alienígenas. Com a população em pânico, a prefeitura local pediu ajuda à Aeronáutica, que investigou o caso. Em 1997, após dar depoimentos sobre o caso, o coronel Uyrangê Bolívar Soares de Hollanda Lima, encarregado das investigações 20 anos antes, se matou em casa, aumentando o mistério em torno dos supostos óvnis do Pará.
AUTENTICIDADE Alta.
Mais de 200 pessoas, entre moradores e militares, testemunharam que algo
de estranho aconteceu no local. Médicos que acompanharam os pacientes queimados forneceram depoimentos e há várias fotos das luzes sobre a cidade.

O VÔO 169
QUANDO 1982
ONDE ENTRE PERNAMBUCO E RIO DE JANEIRO

O CASO Na madrugada do dia 8 de fevereiro, um Boeing 727 partiu de Fortaleza para São Paulo. Uma hora depois, quando sobrevoava Petrolina (PE), o comandante viu uma luz forte à esquerda do Boeing. Ele entrou em contato com o controle aéreo para checar se havia outra aeronave por perto, mas a resposta foi negativa. O comandante passou a sinalizar para o óvni, que teria voado ao lado do avião, passado por baixo dele e feito acrobacias. O ‘show’ teria continuado até o Boeing se aproximar do Rio de Janeiro.
AUTENTICIDADE Alta.
A Aeronáutica não admitiu, mas, segundo a tripulação, quando o avião se aproximava
de Belo Horizonte, controladores aéreos perceberam o sinal do óvni no radar. Além disso, quase todos os passageiros a bordo viram o objeto.